Como Atingir Picos de Performance com o Coaching

Congelamento de Imagem
19 de maio de 2017
Sentido da Vida
26 de maio de 2017

Você quer aumentar os seus resultados, acelerar o desenvolvimento das suas competências, alavancar o processo de atingir novos objetivos, aplicar e maximizar as suas forças e o seu potencial, romper limites e atingir conquistas extraordinárias? Então você precisa compreender o que é um pico de performance e como atingi-lo por meio do coaching.


O que é pico de performance?

O pico de performance (peak performance) é um conceito desenvolvido por Charles Garfield, posteriormente expandido por outros importantes pesquisadores, tais como Ranjit Singh Malhi e Robert Reasoner, que se refere à habilidade de um indivíduo, time ou organização de atingir momentos de máximo desempenho.

Os indivíduos que atingem tais momento são chamados de peak performers e podem ser grandes realizadores, em diferentes áreas da vida, ou mesmo pessoas comuns que desenvolveram atributos positivos que lhes permite gerar resultados extraordinários.


Os princípios dos picos de performance

Os peak performers partilham alguma coisa em comum que explica os seus surpreendentes desempenhos? A resposta para essa pergunta é: sim. E mais ainda, podemos dividir essas características comuns em cinco grandes princípios:

Princípio 1 – Tenha uma missão motivadora:

– Ter uma missão, de acordo com Charles Garfield, é a fonte dos picos de performance. Todos os peak performers possuem uma missão clara e estimulante, que se torna uma poderosa imagem mental do futuro que eles desejam e com a qual se comprometem 100%. A missão pessoal mde um peak performer enfatiza o seu propósito na vida, os seus valores fundamentais e a razão pela qual eles usam suas forças.

Princípio 2 – Busque resultados em tempo real:

Resultados em tempo real são a expressão concreta da missão, de modo que toda a ação deve visar resultados imediatos que aproximem o indivíduo cada vez mais do objetivo. Peak performers não procrastinam e nem praticam ações que não levarão a nenhum lugar. Eles focam no que de fato é importante e prioritário, dividindo os seus objetivos maiores em metas administráveis, com prazos realistas.

Princípio 3 – Construa um mapa do sucesso:

– A partir das suas missões, os peak performers desenvolvem planos que contêm ações e estratégias necessárias para atingir os seus objetivos com qualidade e rapidez. Esses planos são o mapa do sucesso, que inclui também o desenvolvimento de competências. Um mapa do sucesso não deve ser considerado imutável, mas sim uma ferramenta que permite correções e mudanças sempre que necessário em virtude dos resultados.

Princípio 4 – Estabeleça conexões genuínas:

– A habilidade de liderar ou atuar em times é desenvolvida pelo princípio da conexão, que consiste no estabelecimento de ligações genuínas entre diferentes áreas da vida. Um peak performer sabe que não se chega ao sucesso sozinho e por isso busca sempre desenvolver relacionamentos saudáveis e consistentes em sua vida pessoas, familiar e profissional.

Princípio 5 – Pratique a autogestão por meio da supremacia:

– Autogestão por meio da supremacia é a capacidade de gerir a si mesmo, administrando emoções, comportamentos, tendo como parâmetro a sua própria performance. Peak performers procuram desenvolver essa habilidade cultivando a tranquilidade interior, o otimismo criativo e a autodisciplina.

 

Coaching e picos de performance

Seguir esses cinco princípios é o segredo para desenvolver os atributos necessários para se tornar um peak performer. De outro lado, cabe dizer que não é realista esperar que os picos de performance ocorram sempre, pois se assim fosse, não seriam picos. Ou seja, picos de performance se propagam apenas por um determinado período de tempo. E é exatamente neste ponto que o coaching pode exibir a sua contribuição de maneira mais eficiente, pois os princípios dos picos de performance estão de tal modo relacionados aos processos de coaching, que se torna lícito afirmar que o coaching é a melhor prática para poder atingi-los, sobretudo em contextos organizacionais, tal como se pode verificar em pesquisa divulgada pela Bersin by Deloitte (The Top for and Management, 2014). Isso porque, em última instância, os processos de coaching permitem expandir o limite de tempo ao estimular e a valorizar a excelência sustentável, aumentando e qualificando o período em que uma pessoa exibe o seu melhor desempenho.

 

Este texto foi reproduzido do livro Personal & Professional Coaching da Sociedade Brasileira de Coaching, escrito por Villela da Matta e Flora Victoria, aos quais agradeço.

 

Jorge Vieira

Comentarios

comentarios

Os comentários estão encerrados.